Exercícios físicos durante a menstruação

No mês em que se inicia os Jogos Olímpicos em Tóquio, Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da Inciclo, aponta os benefícios do coletor menstrual para quem pratica atividade física. Ele pode ser seu maior aliado para a praticar exercícios físicos durante a menstruação.

É comum que a mulher em período menstrual precise mudar parte de sua rotina por causa do sangramento e dos desconfortos que marcam essa época. Seja escola, faculdade, trabalho ou lazer, tudo parece mais complicado quando a menstruação chega. Na hora de treinar ou praticar qualquer atividade física, o cenário não é diferente.

Esporte e menstruação parecem não combinar, pois o absorvente sai do lugar, a opção interna, em alguns casos, não segura o fluxo e a transpiração durante a prática faz com que a região íntima fique abafada. Isso torna mais comum o surgimento de alergias, irritações e até mesmo infecções na vagina, por exemplo. Uma das soluções possíveis é o uso do coletor menstrual.

No mês em que se inicia os Jogos Olímpicos em Tóquio, Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da Inciclo, aponta os benefícios do coletor menstrual para quem pratica atividade física, tanto como hobby quanto como atleta profissional.

Coletor menstrual

“O coletor é como um copinho que a mulher introduz na vagina para armazenar o sangue, em vez de absorvê-lo. A principal diferença é que ele pode ser lavado e reutilizado. É considerada uma ótima opção para quem pratica exercícios e treinos, por ter maior capacidade de coletar o sangramento e poder ser trocado com menos frequência do que os absorventes comuns”, explica.

A profissional afirma que não há chances do coletor incomodar. “A mulher não sente nada enquanto usa o coletor. Ele fica numa região pouco sensível do nosso corpo, por isso não é sentido. Logo no primeiro dia já é possível aproveitar os intervalos de até 12 horas sem se preocupar com a menstruação”, aponta.

São vantagens que oferecem segurança e liberdade, independente da modalidade do esporte que a mulher pratica. Inclusive as atletas de alta performance podem ser impactadas de forma positiva com o uso do copinho.

“Algumas atletas chegam a tomar doses de hormônio para cortar a menstruação, escolha que não pode ser feita sem um rígido acompanhamento médico. As tenistas, por exemplo, enfrentam não só a barreira da disputa esportiva, mas também um universo de itens que acabam se tornando um problema”, descreve.

“É comum que se pratique tênis usando roupas brancas, além da tradicional mini saia. Alguns campeonatos, inclusive, só liberam uma ida ao banheiro durante o set. o que pode gerar bastante desconforto, dependendo do absorvente que for usado. O coletor, nesse tipo de situação, é um produto super bem-vindo”, acrescenta a obstetriz.

Sem vazamentos e sem incomodo

Criando uma espécie de vácuo, o coletor impede o vazamento até mesmo no caso dos esportes radicais. “Voar de para-quedas, fazer escaladas, artes marciais, natação, andar de bicicleta, apostar no crossfit, na academia ou em uma simples corrida, pilates e yoga… nada disso impede você de aproveitar os benefícios do coletor, já que os movimentos do corpo não interferem no posicionamento do copinho dentro do organismo”, garante.

Além disso, o coletor faz bem para a saúde íntima. Por ser de silicone, um material inerte, ele não funciona como meio de proliferação de bactérias, como podem ser os absorventes internos, e não irrita a pele como os externos. Dessa maneira, é uma alternativa mais saudável para quem tem alergia a absorvente, por exemplo.

“É um produto que não contém componentes químicos em sua produção. Portanto, não altera a flora vaginal, não resseca e nem abafa a região íntima, mantendo a umidade natural da vulva. Porém, na hora de escolher seu copinho, é importante ter certeza da procedência do produto e se certificar de que ele é feito somente de silicone de alta qualidade, livre de corantes e químicos para evitar reações alérgicas e infecções”, indica.

Compartilhar
Calcinha Menstrual

Comente

A

Recomendado para mulheres com mais de 30 anos ou que já têm filhos.

Eu quero

B

Recomendado para mulheres com menos de 30 anos ou que não têm filhos.

Eu quero