SOS Vagina.

Saiba o que você deve manter bem longe da sua região íntima.

Nem ouse passar batido por esse texto, pois ele possui informações importantíssimas para você, que acha que cuida bem da sua vulva e da sua vagina, mas que no fundo, está comprometendo a sua saúde íntima, e pasme: muitas vezes por excesso de zelo. 

Chega mais!
  1. Vagina tem cheiro de vagina e não se fala mais nisso!

Pare já de passar sabonete, perfuminho e sei lá mais o quê pra tentar mudar o cheiro da sua vagina. 

O odor vaginal é natural e, na maioria das vezes, possui um cheiro suave, que pode mudar de intensidade de acordo com as fases do ciclo menstrual e seus respectivos hormônios. 

Por isso, conhecer o seu ciclo e compreender cada uma das suas fases, acompanhando de pertinho a reação do seu corpo durante todos os processos que ele passa é tão importante. Só assim você conseguirá identificar possíveis irregularidades no seu organismo e na sua flora vaginal, e então, tomar as precauções necessárias.

  1. Vagina tem superpoderes: é autolimpante e auto protetora 💪

Calcinha molhada no fim do dia? Esse é um sinal de que a faxina interna foi realizada com sucesso! 

Isso mesmo, a vagina se limpa sozinha! Ela produz seu próprio fluido que carrega células mortas e outros microrganismos para fora do corpo, durante todo o dia, além do muco cervical que o colo do útero produz. 

“Esse líquido é naturalmente ácido e é cheio de microorganismos que vivem lá, de forma harmônica e cuja função é prevenir infecções. Por isso, evite duchas íntimas e produtos de higiene que possam comprometer o funcionamento natural da vagina”, explica a obstetriz e fundadora da inciclo Dra. Mariana Betioli.

  1. Vulva First!

Vulva na frente o resto fica pra trás. Quando for limpar a sua vulva ou o seu anus, o movimento deve ser sempre da frente para trás e nunca ao contrário. As  bactérias do anus em contato com a vagina pode causar sérias infecções.

  1. Vagina não se limpa, mas a vulva sim!

Você sabe diferenciar a vulva da vagina? Vamos lá: espelhinho na mão e agache-se. A parte que você enxerga é a sua vulva. Ela inclui a abertura da vagina, os lábios externos, os lábios internos e o clitóris. Afastando os lábios internos, você vê a abertura da vagina (a maior cavidade), por onde sai  a menstruação, e acima a uretra (um buraquinho menor), por onde sai o xixi. A vagina é o órgão que liga o útero com o meio externo.

Portanto, a vulva (que é a parte externa) deve ser limpa. Mas nada de usar cotonetes, algodão, entre outros materiais para limpá-la. Passe suavemente o dedo durante o banho para limpar. Se quiser, pode usar um pouquinho de sabonete.

  1. Protetores diários absorventes e lencinhos umedecidos

Cuidado, é melhor evitar!

Os protetores diários possuem camadas plásticas que, em contato com a pele, retém a umidade natural da vagina, o que pode causar a proliferação indesejada de microrganismos. Além disso, eles deixam a vulva abafada e quente, o que é uma combinação perfeita para desenvolver uma infecção. O protetor diário protege a sua calcinha e não você.

“A vulva é muito delicada e tem uma fina camada gordurosa protetora que o lenço umedecido, por exemplo, acaba removendo, o que pode ressecar, irritar, causar coceiras e corrimentos. Químicos, de forma geral, são inimigos de uma boa saúde íntima”, aconselha Betioli.

  1. Deixe a vagina respirar!

A sua vagina fica o dia todo trancada, enclausurada e a noite é o momento propício para libertá-la de todo o sufoco! Dê um respiro para a sua vagina, durma sem calcinha!

  1. Calcinha no box nem pensar

Assim que lavar as suas calcinhas, pendure-as em um local ventilado e deixe secar bem. Roupas úmidas favorecem o crescimento de fungos e bactérias que provocam irritações e infecções na vagina, como a candidíase. Como o banheiro é muito úmido, é melhor deixar as calcinhas secando em outro lugar.

  1. Ao menstruar evite descartáveis.

Assim como os protetores diários, os descartáveis possuem plástico em sua composição, que abafam a vulva. Os internos, além de absorver a menstruação, absorvem também o fluido natural da vagina, causando ressecamento e desequilibrando o pH, o que favorece aumenta o risco de infecções.

  1. Calcinhas fio dental

As calcinhas fio dental acabam funcionando como um fio condutor que podem levar bactérias e fungos do ânus para a vagina, podendo causar infecções, corrimentos e diversos outros problemas. Então, deixe para usar só para namorar, mas no dia a dia nem pensar!

  1. Calças justas

Roupas justas e com tecidos mais grossos e sintéticos abafam e aumentam a transpiração da região íntima colocando em risco a saúde.

  1. Cuidado com a alimentação 

O consumo excessivo de gordura, carboidratos, açúcares e alimentos industrializados, pode causar o aumento da proliferação de fungos e bactérias na vagina, culminando com infecções como a candidíase.

  1. Longos períodos com biquínis molhados

Como já dissemos anteriormente, ambiente úmido é propício para o surgimento de infecções. Melhor ter sempre uma troca de biquíni em mãos para evitar.

  1. Uso de lubrificantes

Para quem usa lubrificante na região, opte por lubrificante o mais natural possível.

Evite na sua região íntima qualquer produto que tenha em sua composição:

  • parabenos
  • aromas
  • sabores
  • óleos não naturais
  • corantes
E a última e não menos importante dica:
  1. Sexo só com camisinha

Sexo desprotegido pode resultar em infecções sexualmente transmissíveis. 

Seja fiel a essas dicas tão essenciais e tão simples de colocar em prática e tenha uma vagina mais saudável e feliz 🙂 !

Fique sempre ligada aos sinais da sua vagina, e em caso de:

  • Coceira
  • Ardência
  • Corrimento vaginal anormal
  • Dor
  • Odor não comum
  • Sangramento ou dor na relação sexual
  • Verrugas 
  • Erupções cutâneas

consulte o seu médico!

Compartilhar
Calcinha Menstrual

Comente

A

Recomendado para mulheres com mais de 30 anos ou que já têm filhos.

Eu quero

B

Recomendado para mulheres com menos de 30 anos ou que não têm filhos.

Eu quero