5 dicas para um sexo seguro entre mulheres

Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da Inciclo, aponta especificidades da relação íntima entre vaginas

Neste domingo (29), comemora-se o Dia da Visibilidade Lésbica. Para celebrar a data, Mariana Betioli, obstetriz e fundadora da marca de coletores menstruais Inciclo, trouxe 5 dicas para o sexo seguro entre mulheres e, consequentemente, prazeroso. Confira a seguir!

Proteja-se contra possíveis infecções

Para muita gente isto é uma novidade, mas o sexo lésbico – ou sexo entre mulheres –, também precisa de proteção. Esse tipo de relação, que envolve sexo oral, penetração e a famosa “tesourinha”, pode resultar em Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), assim como qualquer transa heterossexual cisgênera.

“Mulheres que se relacionam exclusivamente com mulheres também podem contrair herpes, sífilis, HIV, HPV e outras doenças. Não é exclusividade do sexo com pênis”, afirma. “A prática sexual de pessoas com vulva é suscetível à transmissão de IST por meio de sangue, troca de secreções, sexo oral, contato entre genitais e compartilhamentos de brinquedos.”

Não deixe de ir ao ginecologista

Muitas mulheres que se relacionam com mulheres não fazem exames de rotina e preventivos porque acreditam que estão totalmente à salvo de qualquer infecção, mas não é bem assim, como aponta a especialista.

“A desinformação também é frequente entre os próprios profissionais de saúde. Durante a consulta, o médico costuma falar de métodos contraceptivos antes mesmo de saber a orientação sexual da paciente. É um processo de invisibilização, que acaba constrangendo muitas delas, fazendo com que as visitas ao ginecologista não ocorram com a frequência necessária”, destaca.

Aposte em produtos para proteção

Vale lembrar que ainda não há ferramentas de proteção feitos especificamente para o sexo entre vulvas. “Os métodos utilizados são baseados em um uso improvisado; afinal, foram projetados para as relações heterossexuais cisgêneras”, indica.

“Um dos mais recomendados é o Dental Dam, uma folha de látex de 15x15cm que é usada como barreira de proteção entre boca e vulva. Apesar de ser de uso odontológico, é recomendado por autoridades médicas e órgãos de saúde. Também pode ser utilizado um preservativo masculino, cortado para esse tipo de proteção”, comenta.

Siga regrinhas básicas de higiene

Também é preciso manter alguns cuidados necessários durante o contato íntimo. “Se as pessoas compartilham vibradores, por exemplo, é necessário trocar a camisinha que protege o brinquedo e higienizá-lo bem. Se usar os dedos para masturbar a parceira, precisa manter as unhas limpas e aparadas. Quando grandes, elas podem abrir feridas que viram porta de entrada para vírus”, ressalta.

Cuidado extra durante menstruação

Segundo Mariana, o risco de contrair infecções durante o sexo aumenta no período menstrual. Isso é um fato importante a ser levado em consideração quando o assunto é sexo entre mulheres. “Como pode haver contato com o sangue durante essa fase, há um risco um pouco maior de infecção durante relações sexuais sem proteção”, alerta.

Também há outro problema relacionado ao sexo ao longo do ciclo menstrual. As mulheres que não se animam a transar durante a menstruação, por mais que sintam aumento da libido, relatam algumas preocupações. As principais costumam ser o receio de manchar o lençol, nojo do sangue menstrual e ainda o fato de não se sentirem à vontade com a companheira.

Uma das alternativas é o uso do Lovin: um disco menstrual de uso interno, é um copo feito de silicone hipoalergênico que fica posicionado em volta do colo do útero, coletando o fluxo e deixando o canal vaginal livre para a penetração. “O disco menstrual fica no fundo da vagina, não vaza durante o sexo, não interfere na lubrificação vaginal e nem a mulher e nem a pessoa com quem ela está se relacionando vão sentir que ela está usando”, finaliza a CEO da Inciclo.

Publicado em 24 de agosto de 2021.

Compartilhar
Calcinha Menstrual

Comente

A

Recomendado para mulheres com mais de 30 anos ou que já têm filhos.

Eu quero

B

Recomendado para mulheres com menos de 30 anos ou que não têm filhos.

Eu quero